Arquidiocese de Palmas

Arcebispo Dom Pedro

No dia 22 de fevereiro de 1954, em Buriti, município de Eliseu Martins – PI, Ana Francisca Guimarães Brito e Clemente Brito Porto, já falecidos, recebiam, com alegria, o décimo dos seus doze filhos que, na pia batismal, recebeu o nome de Pedro. Ali mesmo viveu seus primeiros anos de vida e deu início aos seus estudos que, mais tarde, tiveram continuidade em Eliseu Martins, onde cursou o 2º ano e metade do 3º ano do antigo primário. Seguindo para a Colônia do Gurguéia onde, em 1972, concluiu o 3º ano e foi autorizado a fazer o exame de admissão ao ginásio. Logrando aprovação, ingressou no Ginásio Vale do Gurguéia. Partiu para Floriano, em 1973, onde concluiu o curso ginasial, em 1974, na Unidade Escolar Monsenhor Lindolfo Uchoa.

Pedro, por razões de ordem financeira, fez o teste para o Colégio Agrícola, em Teresina. Passou no referido teste e ficou esperando ser chamado, fato que até hoje não aconteceu. Por causa disto, teve de interromper seus estudos por um período de dois anos, quando trabalhou como professor e comerciário. Por providência divina, enquanto aguardava ser chamado para o Colégio Agrícola, em 1976, após um período de engajamento pastoral, como dirigente de Celebração da Palavra, fundador e coordenador de grupos de jovens, ingressou no Seminário Menor de Oeiras, até concluir, em 1978, o Curso Científico, na Escola Normal Presidente Castelo Branco. Dali foi enviado ao Seminário Maior de Fortaleza, onde estudou Filosofia e iniciou o curso de Teologia, transferindo-se para o Pontifício Colégio Pio Brasileiro, em Roma, onde conclui seus estudos preparatórios ao presbiterato, após três anos na Pontifícia Universidade Gregoriana.

Retornando ao Brasil, se engajou na caminhada pastoral da Diocese de Oeiras-Floriano. Em 18 de agosto de 1985 recebeu os ministérios de Leitor e de Acólito. Foi ordenado Diácono no dia 1º de dezembro, deste mesmo ano, na Co-Catedral de São Pedro de Alcântara, em Floriano.

Antes mesmo de ser ordenado presbítero, assumiu a direção do Seminário Menor João XXIII, em Floriano. E depois de ordenado presbítero, em 26 de janeiro de 1986, assumiu as missões de Coordenador Diocesano de Pastoral, de Catequese e do Ensino Religioso, além de reitor do Seminário Menor. Em 1987 foi enviado a Teresina para exercer as funções de vice-reitor e professor no Seminário Maior Sagrado Coração de Jesus.

Em 1988 retornou a Roma para fazer o Mestrado em Teologia Dogmática, na Pontifícia Universidade Gregoriana. Retornando ao Brasil em 1990, deu continuidade às atividades, anteriormente mencionadas, no Seminário Maior Sagrado Coração de Jesus.  Dois anos depois, voltou a Roma para a mesma Universidade, para fazer o Doutorado, na mesma linha de pesquisa, e o conclui, em 1995, com a tese: “Os Sacramentos como Atos Eclesiais e Proféticos. Um contributo ao conceito dogmático de Sacramento, à luz da exegese contemporânea”, publicada na Coleção “Tesi Gregoriana”, sob o nº 46.

De volta ao Brasil, em 1995 assumiu a reitoria do Seminário Maior Sagrado Coração de Jesus. No Regional Nordeste IV assumiu vários encargos.

Em 17 de julho de 2002 foi eleito bispo da Diocese de São Raimundo Nonato – PI, cujas ordenação e tomada de posse aconteceram no dia 14 de setembro de 2002, escolhendo como lema: Sitio – Tenho Sede. No ano seguinte foi escolhido membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial e da Comissão da Missão Continental, da CNBB. E no dia 20 de outubro de 2010 foi eleito arcebispo da Arquidiocese de Palmas – TO. E tomou posse no dia 17 de dezembro deste mesmo ano. No ano de 2011 foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, cargo que exerceu até 2015.

Atualmente é presidente do Regional Norte 3 da CNBB e escolhido pelo papa Francisco para o Sínodo da Amazônia, a realizar-se em outubro deste ano de 2019.

É orientador de retiros espirituais, compositor de várias canções religiosas, algumas gravadas em diversos CDs e autor de vários livros.

É seu o seguinte pensamento: “ser bispo não é uma honra e nem um poder. É um serviço e uma missão que a Igreja, minha mãe, me chama a exercer”. A serviço desta missão está o meu coração”. De fato, a missão é o seu coração, a sua maior sede.  

No dia 22 de fevereiro de 1954, em Buriti, município de Eliseu Martins – PI, Ana Francisca Guimarães Brito e Clemente Brito Porto, já falecidos, recebiam, com alegria, o décimo dos seus doze filhos que, na pia batismal, recebeu o nome de Pedro. Ali mesmo viveu seus primeiros anos de vida e deu início aos seus estudos que, mais tarde, tiveram continuidade em Eliseu Martins, onde cursou o 2º ano e metade do 3º ano do antigo primário. Seguindo para a Colônia do Gurguéia onde, em 1972, concluiu o 3º ano e foi autorizado a fazer o exame de admissão ao ginásio. Logrando aprovação, ingressou no Ginásio Vale do Gurguéia. Partiu para Floriano, em 1973, onde concluiu o curso ginasial, em 1974, na Unidade Escolar Monsenhor Lindolfo Uchoa.

Pedro, por razões de ordem financeira, fez o teste para o Colégio Agrícola, em Teresina. Passou no referido teste e ficou esperando ser chamado, fato que até hoje não aconteceu. Por causa disto, teve de interromper seus estudos por um período de dois anos, quando trabalhou como professor e comerciário. Por providência divina, enquanto aguardava ser chamado para o Colégio Agrícola, em 1976, após um período de engajamento pastoral, como dirigente de Celebração da Palavra, fundador e coordenador de grupos de jovens, ingressou no Seminário Menor de Oeiras, até concluir, em 1978, o Curso Científico, na Escola Normal Presidente Castelo Branco. Dali foi enviado ao Seminário Maior de Fortaleza, onde estudou Filosofia e iniciou o curso de Teologia, transferindo-se para o Pontifício Colégio Pio Brasileiro, em Roma, onde conclui seus estudos preparatórios ao presbiterato, após três anos na Pontifícia Universidade Gregoriana.

Retornando ao Brasil, se engajou na caminhada pastoral da Diocese de Oeiras-Floriano. Em 18 de agosto de 1985 recebeu os ministérios de Leitor e de Acólito. Foi ordenado Diácono no dia 1º de dezembro, deste mesmo ano, na Co-Catedral de São Pedro de Alcântara, em Floriano.

Antes mesmo de ser ordenado presbítero, assumiu a direção do Seminário Menor João XXIII, em Floriano. E depois de ordenado presbítero, em 26 de janeiro de 1986, assumiu as missões de Coordenador Diocesano de Pastoral, de Catequese e do Ensino Religioso, além de reitor do Seminário Menor. Em 1987 foi enviado a Teresina para exercer as funções de vice-reitor e professor no Seminário Maior Sagrado Coração de Jesus.

Em 1988 retornou a Roma para fazer o Mestrado em Teologia Dogmática, na Pontifícia Universidade Gregoriana. Retornando ao Brasil em 1990, deu continuidade às atividades, anteriormente mencionadas, no Seminário Maior Sagrado Coração de Jesus.  Dois anos depois, voltou a Roma para a mesma Universidade, para fazer o Doutorado, na mesma linha de pesquisa, e o conclui, em 1995, com a tese: “Os Sacramentos como Atos Eclesiais e Proféticos. Um contributo ao conceito dogmático de Sacramento, à luz da exegese contemporânea”, publicada na Coleção “Tesi Gregoriana”, sob o nº 46.

De volta ao Brasil, em 1995 assumiu a reitoria do Seminário Maior Sagrado Coração de Jesus. No Regional Nordeste IV assumiu vários encargos.

Em 17 de julho de 2002 foi eleito bispo da Diocese de São Raimundo Nonato – PI, cujas ordenação e tomada de posse aconteceram no dia 14 de setembro de 2002, escolhendo como lema: Sitio – Tenho Sede. No ano seguinte foi escolhido membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial e da Comissão da Missão Continental, da CNBB. E no dia 20 de outubro de 2010 foi eleito arcebispo da Arquidiocese de Palmas – TO. E tomou posse no dia 17 de dezembro deste mesmo ano. No ano de 2011 foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, cargo que exerceu até 2015.

Atualmente é presidente do Regional Norte 3 da CNBB e escolhido pelo papa Francisco para o Sínodo da Amazônia, a realizar-se em outubro deste ano de 2019.

É orientador de retiros espirituais, compositor de várias canções religiosas, algumas gravadas em diversos CDs e autor de vários livros.

É seu o seguinte pensamento: “ser bispo não é uma honra e nem um poder. É um serviço e uma missão que a Igreja, minha mãe, me chama a exercer”. A serviço desta missão está o meu coração”. De fato, a missão é o seu coração, a sua maior sede.  

X