Amado, amado de Deus, tenho sede de 20 mil palavras por dia!

 

Veja que legal, que incrível, que engraçado! Há um estudo, é bom que se diga, não científico, que diz que a mulher fala, em média, vinte mil palavras por dia, enquanto que o homem fala, em média, sete mil palavras por dia. Aproximadamente são 13 mil palavras a mais que as mulheres falam mais do que os homens. 

Jesus, como falam as mulheres! Nossa Senhora, como falam os homens! Mas há controvérsia. Dizem que não existe base científica neste estudo. Os dados falam por si mesmos. No entanto, fazem pensar. Com esta minha sede, amado, amada de Deus, não quero acirrar ainda mais os ânimos e os embates entre homem e mulher. Também não quero alimentar mais ainda o machismo e nem o preconceito contra a mulher. Ninguém é melhor porque fala mais e ninguém é pior porque fala menos.

O que gostaria de saber é sobre o quê as mulheres falam com vinte mil palavras por dia? Sobre seus problemas ou dos problemas dos outros? E as sete mil palavras dos homens são sobre o quê? Sobre seus problemas ou dos problemas alheios? Alguma coisa que valha a pena? Espero que não sejam palavras ao vento, tagarelices, falatórios, fofocas, bafos de boca, intempéries, blasfêmias. Espero que sejam palavras que constroem, unificam, edificam, educam, comuniquem, socializem, corrigem e orientam. Que sejam realmente palavras de mulher, palavras de homem.

Duas coisas, porém, é bom que se diga: primeira: o cérebro da mulher é diferente do cérebro do homem. E diferença aqui não significa desprezível, pejorativo ou coisa ruim. Esta diferença é coisa boa, é obra de Deus. Segunda: é que mulher, geralmente, fala mais rápido do que o homem. Não é pecado ou erro da mulher. Deus as fez assim. Temos que respeitar a mente do Criador. Deus fez a mulher como mulher e o homem como homem.

Falar muito não é sinal de virtude. No relacionamento interpessoal é preciso saber a hora de falar e a hora de calar, pois, há tempo para tudo na face da terra. Há quem fale muito e escute pouco. Há quem fale muito e faça pouco. Não é aquele ou aquela que diz ‘Senhor, Senhor’, que chegue ao céu, mas quem faz a vontade de Deus! Dizia meu professor de exegese: Deus não é “chiaccherone”, ou seja, não é falastrão. Há uns provérbios que dizem: “falar é prata e ouvir é ouro”; “há quem tenha a língua como espada, mas a língua dos sábios cura” (Prov 12,18); “até o estulto, quando se cala, passa por sábio; e por inteligente aquele que fecha os lábios” (Prov 17,28). Temos que ser rápidos para ouvir e vagarosos para falar.

Portanto, amado, amada de Deus, que me perdoe a mulher que fala vinte mil palavras por dia e o homem que fala sete mil palavras por dia: “falar é prata, calar é ouro e pensar é sabedoria!”.  

Um bom dia e fique com Deus!