Amado, amada de Deus, tenho sede de outubro rosa!

 

Eu, pessoalmente, gosto muito de cores e das cores. Quando escuto ou vejo falar de cores, logo me chama a atenção.  Cada cor tem uma mensagem e uma comunicação. As cores falam e comunicam. De vez em quando, a sociedade civil, não-governamental, batiza alguns meses com algumas cores. Este mês de outubro é batizado de “Outubro Rosa”. Você já ouviu falar nesta Campanha, amado, amado de Deus? Você sabe qual é a causa ou por que motivo? Então, vamos lá:

 “Outubro Rosa” é uma Campanha Nacional de Prevenção contra o câncer de mama. O movimento, conhecido como “Outubro Rosa”, nasceu na década de 90 para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade, de acordo com Instituto Nacional do Câncer. Por causa da incidência de câncer de mana, do sofrimento que causa na mulher e na sua família e número de mortes, a Pastoral da Saúde da CNBB, parceira desta campanha, faz um convite para que em todo o país as comunidades rezem nas missas pelas vítimas da doença.

Relembro ainda, amado, amada de Deus, que outubro é o mês missionário, e que a campanha deste ano chama a atenção para o cuidado com a criação. Cuidar da criação é nossa missão. E neste cuidado com a criação, com a nossa casa comum, a Igreja inclui também a preocupação com as mulheres: irmãs, as mamães e as avós.

A igreja apoia esta Campanha pelo seu lado positivo: a conscientização do problema do câncer de mama. Mas também pelo seu lado negativo: a injustiça social. O mesmo governo que faz e que promove esta Campanha de conscientização, nega o acesso dessas mulheres às estruturas de prevenção, de exames e de tratamentos. Ele não deve somente apoiar ou fazer Campanha, mas tem que dar as estruturas e as condições para a prevenção e tratamento. Todos os dias se vêem e se escutam o drama das mulheres, sobretudo, as mais pobres, para realizar um simples exame, entregar o resultado e fazer a cirurgia e o tratamento, se for o caso.

Reconhecendo o drama que o câncer de mana causa e a dificuldade de acesso da população aos exames diagnósticos, como a mamografia, pede-se às mulheres queaprendam a fazer o auto-exame. Eu penso que se nós dedicarmos mais a este cuidado, teremos a presença feminina melhor e mais saudável nas famílias e nas comunidades.

Com outubro ou sem outubro, com a cor rosa ou sem ela, todo cuidado é pouco para com esta doença que maltrata, mutila e mata muitas mulheres. O que você pode fazer, amado, amada de Deus, na sua igreja e comunidade para divulgar, incentivar, apoiar o “Outubro Rosa”?

Um bom dia e fique com Deus!