Arquidiocese de Palmas

Desmantelam falso caso de abusos sexuais que terminou com a morte de sacerdote na prisão

FILADELFIA, 03 Fev. 16 / 01:30 pm (ACI).- A revista americana Newsweek publicou uma extensa reportagem, na qual desmantelou uma série de falsidades do ex-coroinha Daniel Gallagher, mais conhecido como “Billy Doe”, que terminou na injusta condenação de três sacerdotes que foram presos e um professor da Arquidiocese da Filadélfia (Estados Unidos), falsamente acusados de abusos sexuais cometidos contra o menino. A seguir divulgamos a verdadeira história deste caso revoltante.

Em 2011, Daniel Gallagher, na época com 22 anos, conseguiu aparecer nas capas dos jornais dos Estados Unidos depois de afirmar que teria sido violado repetidas vezes por dois sacerdotes e um professor quando ainda estava na escola da paróquia de São Jerônimo, na Filadélfia.

Após seu testemunho, foram condenados os três supostos agressores, assim como Mons. William Lynn, ex-vigário para o clero da Arquidiocese da Filadélfia, declarado culpado por tais crimes de terceiros. Esta foi a primeira vez na história na qual um administrador da Igreja Católica havia sido condenado por este crime.

A denúncia civil apresentada contra a Arquidiocese da Filadélfia, assim como contra seus supostos agressores (Pe. Charles Engelhardt, o ex-sacerdote Edward Avery e o ex-professor de escola Bernard Shero), fez com que “Billy Doe” recebesse uma indenização de aproximadamente 5 milhões de dólares em agosto de 2015, assinala Newsweek.

Avery e Shero foram encarcerados desde 2013, mas o Pe. Engelhardt morreu na prisão em novembro de 2014, depois que lhe foi negada uma operação de coração, a qual teria salvado a sua vida.

A denúncia apresentada por Gallagher remonta a 2009, quando em uma conversa com um assistente social da arquidiocese falou dos supostos abusos dos quais havia sido vítima e disse que os responsáveis eram o Pe. Engelhardt e o professor Shero.

Entretanto, até hoje, Gallagher apresentou pelo menos nove versões diferentes deste acontecimento.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X