Arquidiocese de Palmas

Em comemoração aos 24 anos da Arquidiocese, Missa traz momento de reflexão com Dom Pedro Brito Guimarães

 

A missa deste domingo, 31, celebrada na Catedral Divino Espírito Santo e presidida por Dom Pedro Brito Guimarães, Arcebispo Metropolitano de Palmas, marcou a comemoração de 3 festas: o Pentecostes, celebrado pela Igreja de todo o mundo; o aniversário da Arquidiocese de Palmas, celebrada pela Igreja particular que compõe seu território; e a visitação de Nossa Senhora à sua prima Isabel, concluindo o mês mariano.

O Arcebispo iniciou a homilia fazendo uma analogia entre a construção de prédios e a construção da Arquidiocese de Palmas, que comemora 24 anos. Ele citou a utilização de tijolos na construção como um método mais leve de edificação referindo-se a situação atual da Arquidiocese, quando o trabalho é realizado a várias mãos. Segundo o pastor, o início da implantação foi feito com pedras, a qual exigiu muito mais trabalho, dedicação, discernimento, com dificuldades e momentos árduos para a estruturação do laicato, do clero, de pastorais e demais setores; sendo que em todos os momentos o Espírito Santo foi o inspirador e orientador. Dom Pedro lembrou da imagem de um barco navegando sem a tecnologia atual, quando se utilizava o “vento oportuno”, ressaltando que temos que viver as oportunidades da vida apresentadas pelo Espírito Santo.

O Arcebispo deixou registrado 5 pedidos ao Espírito Santo para a Arquidiocese de Palmas: Serviço PASCAL com a Graça de sabermos recomeçar nossas vidas neste momento ímpar de pandemia. Serviço APOSTÓLICO com a Graça de viver a missão quebrando espelhos, para não olharmos somente para nós e abrindo janelas para ver o mundo e a necessidade do outro. Serviço ECLESIAL com a Graça de receber e dar o perdão para curar as doenças e feridas interiores proporcionando paz de espírito. Serviço ECOLÓGICO com a Graça de sermos terra onde o Espírito possa habitar. E serviço MARIAL com a Graça de vivermos vigilantes, em constante Vigília, com a disposição que Maria teve.

A missa contou também com o padre Eduardo Zanom que abençoou os bancos da Catedral com a bandeira do Divino, padroeiro da Arquidiocese de Palmas, em referência aos paroquianos que não podem ir a igreja devido a Covid-19.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X