Arquidiocese de Palmas

Encontro de Formação do Clero discute ideologia de gênero

De 23 a 26 de outubro a Arquidiocese de Palmas promoveu um momento de formação aos seus presbíteros. Na ocasião fizeram-se presentes também alguns diáconos e seminaristas. O estudo ocorreu no espaço Fé e Alegria e teve como assessor o padre Rafael Solano, de Londrina, que abordou a temática Ideologia de Gênero. Durante o encontro foi discutido o valor da antropologia cristã, as propostas da ideologia de gênero, o drama da biotecnologia e a manipulação embrionária, com a colocação de proposta pastorais.

Conforme o Assessor, na primeira proposta pastoral é preciso "dialogar com a cultura da ideologia de gênero, nós não podemos simplesmente demonizar, rejeitar ou nos afastar. Temos um caminho a ser feito. Mas da mesma forma que eles querem ser ouvidos pelo mundo, nós também somos chamados para falar e sermos ouvidos. Porque como comunidade e como igreja a nossa caminhada milenar da filosofia cristã e da antropologia nos leva a promover o dom da vida, da pessoa e a salvaguardar o princípio da família que não é simplesmente uma célula estruturalmente social, a família tem raízes divinas foi pensada por Deus, foi um desejo divino e não pode simplesmente ser anulada só porque hoje se coloca em questão a própria realidade do ícone da família".

Padre Edionilson Alves, coordenador da Pastoral Presbiteral, promotora do evento, conta que o tema foi escolhido pelos padres para a formação que acontece anualmente. Ele avalia a formação como de muita relevância, a qual propiciou orientação quanto ao posicionamento frente ao assunto. 

"Como a ideologia de gênero é um tema que está sendo discutido em todos os grupos hoje em dia é de suma importância para nós padres abordarmos esse tema, refletirmos para também termos respostas para dar às nossas lideranças, ao nosso povo, não respostas prontas, mas também levar o povo a um diálogo, a um respeito", destaca o Padre.

A formação permanente do clero está esscrita e determinada em todos os manuais da igreja, como qualquer formação, é continuada e contínua.

Para Dom Pedro Brito Guimarães, arcebispo Metropolitano de Palmas, "todos os dias nós temos novos desafios que aparecem que o ministro precisa saber como se portar, como conhecer para se orientar e orientar também os fiéis que procuram, entre essas agendas que estão nos desafiando está a ideologia de gênero". 

Segundo Dom Pedro essa agenda tomou conta do mundo e do Brasil e é irreversível. Virou um problema cultural e está desafiando a igreja e desconstruindo a pessoa humana, a família, aquilo que a igreja acredita como valores fundamentais da sociedade. Ele se mostrou feliz com o desejo do clero em abordar o tema em estudo. "Queremos continuar produzindo esse tipo de evento que coloca nossa igreja dentro das agendas das preocupações de todo o cristianismo, da CNBB, do Regional Norte 3 e da nossa Arquidiocese. Nós não queremos viver num arredoma, numa berlinda, nós somos parte dessa sociedade, temos parte e responsabilidades, temos também obrigação de conhecer, para dialogar para a gente não cometer acidente de percurso, para a gente não usar a arma da falta de diálogo, respeito e comunhão".

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X