Espírito Santo, Força Renovadora do Seminário

Além de ser o padroeiro da Arquidiocese, o Espírito Santo é também invocado como padroeiro do nosso Seminário, que com grande admiração o trazemos em nosso título: “Seminário Interdiocesano do Divino Espírito Santo”. Estamos felizes por sua Festa que, então, também é nossa; e pela ênfase com a qual Dom Pedro Brito Guimarães vem destacando o Espírito Santo, sua vinda e um novo Pentecostes, desde de que chegou em Palmas para a sua missão.

Neste Seminário são formados os futuros sacerdotes, padres para toda a Província Eclesiástica de Palmas e que muito necessitam das luzes do Espírito Santo em sua caminhada.

Por Província, compreendamos a junção de algumas dioceses em torno de uma Diocese principal, de um pólo regional mais desenvolvido ou de uma Capital. No nosso caso formamos a Província Eclesiástica de Palmas, composta por cinco Dioceses e seus respectivos Bispos e Padres, abrangendo todos os municípios do Estado. Além de Palmas, como sede central (Dom Pedro Brito Guimarães), fazem parte da Província as Dioceses que tem como sedes os municípios de Porto Nacional (Dom Romualdo Matias Kujawski) , Miracema do Tocantins (Dom Philip Dickmans), Tocantinópolis (Dom Giovane de Melo) e de Cristalândia (Dom Rodolfo Weber), que se configura como uma Prelazia, uma quase Diocese.

Temos hoje morando conosco, como internos, 55 jovens: Palmas, mantém 17 seminaristas; Porto Nacional, 16; Tocantinópolis, 15; Miracema, 6 e Cristalândia, 1. São estudantes em tempo de formação acadêmica, espiritual, pastoral e humana, que se preparam para corresponder ao chamado de Deus, como Sacerdotes, discípulos e missionários de Jesus Cristo, em permanente missão para a nossa Igreja.

A formação e o deixar-se formar implicam muitos desafios e obstáculos a serem superados. É uma caminhada muito bonita, mas também bastante exigente. Por isso estes jovens são para nós, de grande valor. Merecem nossa admiração e necessitam muito de nosso estímulo e apoio. A preparação de um sacerdote não depende apenas de uma reduzida equipe de formadores e do empenho e esforço de seus bispos. A Comunidade toda deve estar engajada nessa missão. Os seminaristas saem do seio de nossas Comunidades e são preparados para amanhã, num futuro bem próximo, servirem à essas mesmas Comunidades. Portanto é de nosso interesse uma boa e sólida formação.

Não é simples testemunhar Jesus Cristo diante dos homens, nunca o foi, seja em qualquer época; e somos homens mais que conscientes dos nossos dias, tão secularizados e em crise de valores. Por isso se faz necessário um constante renovar as forças, uma Igreja unida em oração, atenta a seus seminaristas, interessada em seu próprio futuro.

Vivamos então, no presente, unidos num novo pentecostes. Jesus prometeu aos seus discípulos estar com eles até o fim dos tempos. Prometeu-lhes ainda, nunca deixá-los órfãos e que enviaria um outro Consolador para estar com eles, o Espírito Santo Paráclito. É assim que nós, formadores e formandos, discípulos do Senhor Jesus, confiamos e Nele esperamos.

Com certeza Já vivemos no passado outras festas, mas esta, deste ano, ainda não. Esta é inédita, nasce como novo sol, trazendo a força da novidade. Saibamos nós também, ser inéditos na abertura do coração e na recepção deste Dom gratuito.

Que o mesmo Espírito Santo descido sobre os Apóstolos e a Virgem Maria, nosso padroeiro principal, venha! Nos traga a força do alto; que seja um tempo restaurador e nos impulsione a todos na nobre e sublime missão de evangelizar.

Pe. Marcos Tavoni

Reitor do Seminário Interdiocesano

Posts Relacionados