Arquidiocese de Palmas

Fechamento da Porta Santa da Misericórdia em Palmas

O Encerramento do ano litúrgico , a Festa de Cristo Rei, e o fechamento da Porta Santa da Misericórdia aconteceram no domingo passado (20) e foi na Catedral do Divino Espírito Santo onde celebrou-se a Santa Missa de encerramento do Ano da Misericórdia em Palmas/TO.

Tudo teve início nas dependências externa da Catedral de onde prosseguiu uma procissão com dezenas de pessoas, após o Arcebispo Dom Pedro Brito Guimarães   ter pronunciado palavras de louvor o ano Santo da Misericórdia.

Ao passar pela porta os fiéis a tocavam e faziam o sinal da cruz,  em seguida tomavam seu lugares no interior da igreja para a celebração da Santa Missa.

Durante a homilia Dom Pedro anunciou o final do ano Litúrgico e o 1º ano do Advento, falou sobre a Festa de Cristo Rei e seu significado para os católicos, lembrou que na data também comemorava-se  o dia do Leigo.

O Arcebispo pontuou alguns conselhos para reflexão:

“As portas do paraíso não estão fechadas, talvez não queiramos entrar, mas não há nenhum empecilho de Deus”

Dom Pedro ainda chamou atenção:

“Não faça chacota e nem zombem de Deus e do seu irmão. Todos os dias somos tentados a cometer pelo menos duas heresias, não fiquem fazendo gracinha com Deus, porque o veneno vai retornar a nós, não disseminem  preconceito.”

“ A gente não deve brincar com as coisas de Deus “.

Ainda recomendou:

“Sinta-se bem dentro da Igreja.”

“Nossa missão também é lá fora, vamos cuidar da casa comum”.

O Arcebispo também acentuou que o mundo é dos leigos, que são eles quem determinam o futuro no mundo e afirmou que o maior legado que podem deixar está no mundo onde ele evangeliza, e que são três os primeiros lugares a lembrar-se;

1º  Casa – família.

2º Trabalho – lugar onde ganha o pão para o sustento

3º Profissão .

Por fim voltou a reafirmar a todos que a Porta da Misericórdia do Ano Jubilar se fechou, mas a Porta do Paraíso continua aberta para todos

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X