Arquidiocese de Palmas

Fidelidade, Indissolubilidade e Fecundidade: Bispo de Lorena (SP) destaca fundamentos do matrimônio

Lorena, 08 Out. 15 / 04:18 pm (ACI).- O autêntico casamento cristão deve ter três características que são reflexo do amor que Jesus nutre por Sua Esposa, a Igreja: fidelidade, indissolubilidade e fecundidade. É o que indica o Bispo de Lorena (SP), Dom João Inácio Müller, em recente artigo.

“Quando um homem e uma mulher se unem em matrimônio, Deus ‘se reflete neles’. Da mesma maneira, como indica São Paulo, na Carta aos Efésios: nos esposos cristãos reflete ‘a relação instaurada de Cristo com a Igreja, uma relação esponsal’” (Ef 5, 25)”, assinala o Prelado no artigo “O matrimônio indissolúvel é possível.

Dom Müller lembra algumas frases ditas pelo Papa Francisco, as quais classifica como “exatas”. Aprendeu de Jesus!”, diz.

Em uma das frases citadas pelo Bispo, o Pontífice afirma que “o casamento nos conduz ao coração do projeto de Deus, que é um projeto de aliança com seu povo, com todos nós: um projeto de comunhão”. Dom Müller, então recorda a passagem de Gênesis em que Deus diz que o homem seja feito à Sua imagem e semelhança. “Deus não é solidão, mas comunhão, Família: Pai e Filho e Espírito Santo, sublinha.

Quanto ao casamento fiel, indissolúvel e fecundo, o Bispo admite saber que “isso nem sempre é fácil”. Mas, recorda que também na vida de Jesus “num tudo foi fácil”.

“Contudo – ressalta –, nosso Senhor foi acolhendo toda a missão que do Pai recebera e buscou ser fiel, perseverante e fecundo, mesmo na dor e na derradeira morte: na Sua entrega de vida na Cruz”.

Dom Müller destaca que “em Cristo nossa identidade e nossa vocação profunda resplandecem”. Segundo ele, “somos criados capazes de fidelidade e de perseverança” e, embora não seja fácil, “a fidelidade, a indissolubilidade e a fecundidade são possíveis e ínsitas da identidade profunda da pessoa humana”.

O Prelado conclui recordando Santo Antônio ao dizer que “só podem se unir em matrimônio os que têm fé e entendem ser este o caminho vocacional para viver o Evangelho; os que se amam: amam no amor de Cristo, do jeito de Cristo, como Ele amou: – “dar sua vida”; os que quiserem empenhar toda a vida em tornar o outro melhor; os que quiserem empenhar toda a sua vida em conduzir o outro a Deus: buscar tornar o outro santo”.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X