Arquidiocese de Palmas

Governador nega denúncia de revista em encontro com o clero de Palmas

A Arquidiocese de Palmas promoveu na tarde desta segunda-feira, 27, um encontro com o governador Carlos Henrique Amorim (PMDB) e o candidato ao Senado Marcelo Miranda (PMDB), no auditório do Colégio São Francisco, em Palmas.

Cerca de 60 lideranças da Igreja Católica, entre padres, religiosos, seminaristas e leigos, puderam ouvir as propostas de cada candidato, além de fazer perguntas. Também estiveram presentes o senador Leomar Quintanilha (PMDB); a primeira-dama do Estado, Rose Amorim; e a ex-primeira dama, Dulce Miranda.

Carlos Gaguim

O candidato ao governo do Estado do Tocantins iniciou suas propostas afirmando que “Deus me deu a oportunidade de assumir este Estado após a intervenção do governo de Marcelo Miranda”. Disse que priorizará a família e a pessoa, fazendo uma administração voltada para a educação.

O governador citou o caso das bicicletas vermelhas distribuídas para cerca de 3000 crianças no Estado, dizendo que “o primeiro benefício destas bicicletas foi facilitar o acesso às igrejas, sejam elas evangélicas ou católicas”. Afirmou ainda que, como vereador em Palmas, ajudou efetivamente na construção dos primeiros templos católicos na cidade.

Questionado sobre a composição de um eventual governo, Carlos Gaguim disse que “ocuparão as secretarias quem possuir competência, independentemente de religião. O nosso governo não é fechado, sentamos com todas as entidades”.

Sobre os quase 20 mil funcionários comissionados do Estado, o governador afirmou que “não vamos demitir ninguém, mas alocar estes funcionários para as empresas que virão com a iminente industrialização do Tocantins”.

O candidato ainda prometeu fazer convênios com as prefeituras para isentar as diversas igrejas da taxa do IPTU, além de propor uma taxa especial de energia elétrica e de água. “Quero investir pesado nas igrejas, e vou fazer isso em forma de lei, para que meus sucessores não possam suspender esses benefícios”, afirmou.

Marcelo Miranda

O ex-governador e atual candidato ao Senado, Marcelo Miranda, disse ser “um servo de Deus, católico. Deus mostrou meu caminho, desde o início de minha carreira pública”.

Marcelo Miranda afirmou ser radicalmente contra o aborto. “Essa decisão compete a Deus, e não deve ser colocada nas mãos dos cidadãos”, disse. Sobre a reforma agrária, posicionou-se “contra qualquer tipo de invasão. Devemos buscar alternativas, por isso quero discutir uma nova reforma agrária para esse país”. Ele falou ainda sobre a união civil de pessoas homossexuais. “Uma vez que a decisão está tomada entre duas pessoas, o que devo fazer é respeitar”, defendeu.

Questionado se ele trabalharia para alocar recursos para o Estado mesmo se o candidato da oposição fosse eleito governador, Marcelo Miranda disse querer “trabalhar com o Gaguim eleito. Mas jamais trabalharei contra o Estado, pois já fui vítima disso quando era governador”.

Denúncias na Revista Veja

A respeito das denúncias contidas contra o seu governo na Revista Veja dessa semana, o governador Carlos Gaguim afirmou que “isso é uma arquitetura montada pelo candidato adversário. Ele faz isso em todos os pleitos, como de prática. Ele também articulou calúnias contra Raul Filho (PT, prefeito de Palmas) e Marcelo Miranda. Ele não consegue ganhar campanhas conversando e fazendo propostas, então faz isso. Não me deram a oportunidade para falar nada, mas nesta mesma revista, em outras edições, há várias denúncias contra esse candidato”. “Na Igreja acontecem coisas que não são culpa do papa, assim é no governo também. Eu estou tranquilo, pois tenho a consciência limpa”, desabafou.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X