Arquidiocese de Palmas

Mulheres que cultivam maconha na Califórnia não são religiosas católicas

CALIFORNIA, 10 Jun. 16 / 08:30 am (ACI).- Há várias semanas, circulam na internet dezenas de notícias e vídeos sobre mulheres que se vestem como religiosas e cultivam maconha na Califórnia para fazer um unguento que supostamente curaria doenças como o câncer.

Em declarações ao jornal ‘ABC10’, as mulheres que se autodenominam “Irmã Kate” e “Irmã Darcy” admitem que não são religiosas, autoproclamaram-se “religiosas espirituais”, chamadas “Sisters of the Valley” (Irmãs do Vale) porque a granja onde cultivam a maconha está em um povoado da região Central Valley chamado Merced.

 

Kate, que se declara feminista e vegana, assegura que o estilo de vida de sua “comunidade” se inspira nas antigas curandeiras e não tem nenhum vínculo com aIgreja Católica. Elas realizam rituais antes de começar seu trabalho e fazem oferendas à natureza.

A mulher declarou ao jornal ‘The Daily Beast’ que em uma ocasião se vestiu de religiosa para um protesto e ao ver o efeito positivo que tinha nas pessoas – porque se aproximavam dela, demostravam confiança e lhe pediam orações – decidiu utilizar a veste como uma marca do seu negócio.

Começaram a vender o unguento no ano passado e atualmente ganham cerca de mil dólares diários, através das vendas por internet.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X