O discernimento comunitário conhecido como “conversa no Espírito” começa a ser usado e promove a escuta com o coração

Na tarde da sexta-feira, dia 12, em sua quinta sessão, a 61ª edição da Assembleia Geral (AG) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) deu início à primeira rodada do processo de reflexão sobre a atualização das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) com o uso do método discernimento comunitário intitulado de “Conversa no Espírito”.

Divididos em 45 pequenas comunidades, com cerca de 10 participantes cada, o episcopado brasileiro, com silêncio orante, deu início à primeira rodada do processo de “escuta do Espírito Santo e dos irmãos para a contribuição dos bispos na construção das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil”, como indicou o arcebispo de Goiânia (GO) e primeiro vice-presidente da CNBB, dom João Justino de Medeiros Silva, ao motivar a formação dos grupos.

O método prevê três rodadas precedidas sempre por um momento de oração e silêncio. Na primeira, todos partilham seus pensamentos e sentimentos em relação à questão apresentada. O convite é para focar na escuta do outro. Na segunda, cada um fala sobre o que mais chamou atenção na escuta realizada. O convite é enfatizar sobre o que mais tocou e desafiou cada um.  Na terceira rodada, identifica-se os pontos chaves e constrói-se um consenso sobre os elementos centrais que surgiram a partir do discernimento em grupo iluminado pelo Espírito.

As comunidades de oração e diálogo estão sendo conduzidas por bispos facilitadores e assessores da CNBB que, como secretários, têm a missão da relatoria dos momentos de escuta que ocorrerão durante a reflexão sobre as DGAE.

Posts Relacionados