Arquidiocese de Palmas

Artigos › 19/02/2019

Os valores da Páscoa

Os valores são chaves para a nossa felicidade; são princípios que norteiam toda nossa vida e nos ajudam a dar sentido a todas as coisas. Na grande festa da Páscoa existe uma grande diversidade de valores: ela nos reúne, nos ajuda a criar laços, nos leva ao conhecimento de Deus, de nós mesmos e do outro; nos leva a sermos mais humanos, amigos e solidários.

Neste tempo pascal o valor maior é o da religiosidade: sabemos da grande importância dessa para a humanidade, esta nos marca desde as nossas origens. A religiosidade sugerida pela Páscoa é capaz de produzir em nós profundas transformações em nossa estrutura de base. Ela não é superficial e somente exterior, mas é integradora; relacionada com as qualidades do espírito humano – tais como amor, a compaixão, a convivência e a abertura para Deus. Esta tem seus fundamentos em Cristo e seu novo mandamento do amor: “Amai-vos uns aos outros. Como eu vos tenho amado” (Jo 13,34).

Outros grandes valores que não podem faltar são a unidade, o respeito e a solidariedade, assim como esses cinquenta dias são celebrados como se fossem um só, assim também devemos viver, como uma só família humana, buscando uma convivência fraterna e pacífica. Que nossas boas obras e nossas vozes em cada canto das nossas cidades, possam levar a alegria do Ressuscitado sobretudo aos pobres, doentes, àqueles mais distantes e a todas as pessoas, pois são amadas pelo Pai.

O grande valor da esperança é para ser muito cultivado: desde a alvorada de Páscoa, uma nova primavera de esperança invade o mundo; Jesus ressuscitou! Não só para que a Sua memória permaneça viva em nossos corações, mas para que Ele mesmo viva em nós, renove a nossa vida e nos potencialize para sermos melhores; para superarmos todos os sinais de morte que nos atingem, pois somos filhos da grande Vitória Pascal, a esperança resplende em nossas faces. Como nos diz o papa Bento XVI: “é a esperança ativa, que nos faz lutar para que as coisas não caminhem para um fim perverso”.

Nesta Páscoa valorizemos também, a reflexão e meditação principalmente sobre a Ressurreição e a Paixão do Senhor. Diz o apóstolo Paulo que “se Cristo não ressuscitou vã é a nossa pregação e a nossa fé” (1 Cor 15,14). Toda a nossa fé parte do grande marco da Ressurreição. Nele também todos nós ressuscitaremos. A Paixão do Senhor, seu sangue derramado foi por amor a cada um de nós, esta deve tocar profundamente nossos corações neste tempo tão especial.

Enfim, as ações nobres, os sonhos e lutas; a fé e a oração por um mundo mais justo e solidário, por cristãos mais renovados e fiéis. Que se encha nosso olhar de luz, como os dos discípulos e discípulas que viram o sepulcro vazio e o Filho de Deus ressuscitado.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X