Arquidiocese de Palmas

Artigos › 19/02/2019

PALMAS, MEDITA CIDADE!

PALMAS, MEDITA CIDADE!
Palmas aniversaria. Parabéns! Não tenho outro presente para dar a esta cidade que me acolheu de coração e braços abertos, a quem pastoralmente sirvo, a não ser esta simples meditação, escrita com a caneta do amor e com as tintas do coração:
Palmas, medita cidade! A maior riqueza de uma cidade é o seu povo, vivendo em paz e harmonia. Deus ama uma cidade assim (cf. Sl 87,2). Palmas é hoje um verdadeiro mosaico, formada por diversos rostos, várias culturas e muitas tribos. Palmas é a cara do Brasil, pluricultural, pluriétnico e plurifacetário: riqueza e pobreza, graça e desafio, problema e solução, Jerusalém e Babilônia, santa e pecadora, parecida e diferente, tranquila e violenta, sóbria e agitada, metrópole e interiorana. Não é fácil, nesta cidade, falar a mesma língua, comer o mesmo prato, viver a mesma fé, participar da mesma política, empunhar a mesma bandeira, torcer pelo mesmo time, defender os mesmos valores e ideias. Um povo dá muita despesa a uma cidade, mas também produz riquezas e outros dividendos para o seu desenvolvimento. Como desejo ver Palmas acolher melhor quem aqui chega em busca de trabalho, de moradia, de educação, de segurança e de saúde, como a galinha ajunta seus pintinhos debaixo de suas asas (Mt 23,37). Aproveita, Palmas, este seu aniversário para presentear a este seu povo mais qualidade de vida.
Palmas, medita cidade! O maior patrimônio de uma cidade é a sua cultura. Cultura vem de cultivo e de culto. Aliás, cultura é fundamentalmente cultivo e culto. Quem cultiva produz cultura e quem cultua é culto. Palmas será uma cidade culta, de culto e de cultura se souber cultivar este seu patrimônio imaterial. Precisamos de palmenses sábios e cultos, que cultivem, cultuem, preservem e protegem o culto do belo e do bom. Aproveita, Palmas, esta pausa, no seu frenético dia-a-dia, para permitir este cultivo e permitir que se destruam e derrubem espaços de cultivo, de culto e de cultura. 
Palmas, medita cidade! O maior tesouro de uma cidade é sua ecologia natural e humana. Palmas é uma cidade que não pode se queixar de falta de terra. Num espaço geográfico que cabe um milhão de pessoas, habita aproximadamente duzentos e quarenta mil. Há lugar de sobra para todos construir suas casas, plantar seus quintais, embelezar seus jardins, cultivar seus pomares. Torcemos para que Palmas seja uma cidade bem edificada, num conjunto harmonioso (Sl 122,3). Quem desmata, mata. Queremos terra, nesta cidade, para morar, plantar, construir, vender e comprar, mas também para viver, contemplar, rezar, meditar e ver o sol nascer e se pôr. Aproveita, Palmas, este seu dia para aplaudir todas as iniciativas que dignificam, protegem, harmonizam e humanizam as relações entre o humano e o divino, entre o ser humano e o meio ambiente. 
Palmas, medita cidade! A maior grandeza de uma cidade é sua sustentabilidade. Palmas é uma cidade sustentável? Quais são as fontes do seu sustento? Deus é a sua fonte e o seu sustento. Quem sustenta uma cidade é Deus e não simplesmente o dinheiro e o poder. Aproveita, Palmas, este seu feriado para meditar e rezar: louvar e agradecer a Deus que de presente deu a você as águas do Lago, para que continue com os pés no chão, e os paredões da Serra, para que olhe sempre para o céu de onde provêm toda graça, toda bênção e todo sustento. 
E, no final desta breve e simples meditação, Palmas, por favor, não imite a postura do povo que abandonou o Senhor, a fonte de água viva, e cavou cisterna rachada que não segurava água (Jr 2,13). Tenho dito e repito: “Sou mais Palmas!” Nestas intenções, rezo muito por você. Que São José, seu Padroeiro, interceda do céu por você. Feliz aniversário e parabéns! Palmas para Palmas!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X