Arquidiocese de Palmas

Paróquia São José recebe visita pastoral do arcebispo de Palmas

Entre os dias 21 a 24 de setembro, o arcebispo de Palmas Dom Pedro Brito Guimarães, realizará visita pastoral missionária na paróquia São José Matriz de Palmas. A programação da visita pastoral iniciará com a Santa Missa, às 19h30 na comunidade São Miguel Arcanjo, momento em que haverá a participação e apresentação de todos os membros de grupos, pastorais, movimentos, setores e organismos, ao arcebispo e a comunidade em geral. Neste mesmo dia, a comunidade inicia também os festejos de São Miguel Arcanjo.

De acordo com a programação, a Santa Missa das 19h30 do dia 21, na Comunidade São Miguel Arcanjo, abre oficialmente todas as atividades da visita pastoral do Arcebispo, na São José. No dia 22, haverá a visita ao Comércio local, a exemplo da Empresa DigiSat, às 8h30; Visitas às escolas: Escola de Tempo Integral Vinícius de Morais às 9h30 e às 10h30 na Associação de Pais e Amigos Excepcionais (APAE); Visita ao Hospital Santa Tereza, às 14h30; Visita a Unidade de Saúde da Quadra 712 Sul às 16h. Já no dia 23, segue pela manhã, com Visita ao Pároco e às dependências da Paróquia São José Matriz de Palmas; Realização da Formação Geral a ser conduzida pelo Arcebispo Dom Pedro, para todos os membros de pastorais, movimentos e serviços, das 14 às 18h e a noite Momentos celebrativo às 19h30, na Comunidade São Miguel, também com Arcebispo e no dia 24,missa solene de encerramento da visita pastoral às 10h, seguindo de almoço para o Arcebispo, com participação dos membros de pastorais, movimentos e serviços.

De acordo com o código de direito canônico, a Visita Pastoral é “uma das formas comprovadas e aprovadas pela experiência dos séculos, com a qual o Bispo mantém contatos pessoas com o clero e com os outros membros do povo de Deus. É ocasião para fazer reviver as energias dos operários do evangelho, louvá-los, encorajá-los e consolá-los; é também ocasião para chamar novamente todos os fiéis à renovação própria vida cristã, a uma ação apostólica mais intensa. A visita, além disso, permite-lhe avaliar a eficiência das estruturas e dos instrumentos destinados ao serviço pastoral,  a tomar conhecimento das circunstancias e dificuldades do trabalho de evangelização para depois determinar melhoras prioridades e os meios da pastoral orgânica. A visita pastoral é, portanto, uma ação apostólica que o Bispo deve cumprir animado daquela caridade pastoral que o apresenta corretamente como principio e fundamento visível da  unidade na igreja particular”.

Para o Padre José Reniton da Paixão de Lima, pároco da São José, sempre é uma grande honra receber o Arcebispo na paróquia “A visita pastoral do nosso Arcebispo, além de ser uma grande graça, é também um momento importantíssimo para a formação espiritual e de unidade de toda a comunidade. Certamente receberemos uma excelente catequese por meio de suas homilias e palestras”, comentou o padre, reforçando, reforçando a importância de todos os fiéis participarem ativamente da programação, especialmente os que pertencem as pastorais, movimentos e serviços da paróquia.

Entenda

A visita pastoral missionária é uma das obrigações do Bispo, que deve visitar a cada ano, a diocese total ou parcialmente, de modo que visite a diocese toda ao menos a cada cinco anos. A visita pastoral é, portanto, uma ação apostólica que o Arcebispo deve cumprir, animado daquela caridade pastoral que o apresenta corretamente como princípio e fundamento visível da unidade na Igreja particular. Para as comunidades e as instituições que a recebem, a visita é um acontecimento de graça que reflete, em certa medida, aquela especialíssima visita com a qual o "supremo Pastor" (1Pd 5,4) e guardião das nossas almas (cf. 1Pd 2,25), Jesus Cristo, visitou e redimiu o seu povo (cf. Lc 1,68).

Objetivos da visita pastoral missionária

  • Manter contatos pessoais com o clero e com outros membros do povo de Deus;
  • Fazer reviver as energias dos operários do evangelho, louvá-los, encorajá-los e consolá-los;
  • Chamar novamente todos os fiéis à renovação da própria vida cristã, a uma ação apostólica mais intensa;
  • Avaliar a eficiência das estruturas e dos instrumentos destinados ao serviço pastoral;
  • Tomar conhecimento das circunstâncias e dificuldades do trabalho de evangelização, para depois poder determinar melhor as prioridades e os meios da pastoral orgânica.

Iranilde Gonçalves (Dedé) – Pascom Paróquia São José

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X