Arquidiocese de Palmas

Artigos › 19/02/2019

Santa Terezinha: Missionária antes e depois da morte

Foi-se setembro, chegou outubro! Terminamos o mês da Bíblia e começamos os mês dedicado às missões. Mas entendamos bem: leitura e reflexão da palavra de Deus não se reduz a um determinado mês do ano; e muito menos, ainda, a prática da missão.

Estes meses são temáticos, instrumentos pastorais, motivadores de novas atitudes. Estão para nos ajudar quanto a reflexão e para recordar: “o como?” e “o quê?” priorizar em nossas vidas.

Esses meses são escolhidos à partir de algum fato importantes ou de pessoas significativas para a vida da Igreja que, com o passar do tempo, se tornaram referência e modelos a seguir. No caso de setembro, escolhido para a Bíblia, é porque nele, comemoramos são Jerônimo, no último dia do mês. Foi este santo quem por primeiro traduziu a Sagradas Escrituras do hebraico e grego para o latim, possibilitando assim o acesso à leitura do Livro Sagrado, aos povos latinos. Já o mês de outubro, iniciamos comemorando aquela que nos remete a reflexão sobre as missões; e logo no dia primeiro. Trata-se de santa Teresinha do Menino Jesus. E você sabe o porquê?

Pois, bem! A história desta humilde, mas grande mulher, é cheia de pormenores que nos falam do amor e do zelo em seguir Jesus. Mas o foco para a motivação, está centrado no desejo do coração dessa jovenzinha, que muito cedo entrou no Carmelo de Lisieux para seguir o divino Mestre, mas ao mesmo tempo consumia-se no desejo de estar em todas as partes do mundo anunciando o Evangelho.

Teresinha entendeu – melhor que muita gente – que a leitura da Bíblia não está reduzida ao mês de setembro. Inteiramente consagrada ao Senhor, ela, constantemente, refletia e orava com as Sagradas Escrituras e aí buscava as luzes para a sua vida.

Foi no auge de muitas dúvidas e dividida pelo fogo do zelo, em descobrir como melhor servir ao Senhor, que Teresinha, um dia, abrindo a Bíblia, descobriu o rumo à seguir. Teresinha se encontrou com Deus ao ler o Capítulo 13 da Primeira Carta aos Coríntios – ótima sugestão de leitura espiritual para esse dia – texto de são Paulo que nos coloca a refletir e mexe com o nosso interior, questiona e ao mesmo tempo dá resposta. Foi nessas linhas que Teresinha descobriu enfim, sua vocação: o amor, a caridade. E passou a entender : “Onde há Caridade, aí Deus está!” E serenou o seu coração.

Depois da morte de Terezinha, seus restos mortais, preservados em uma urna, tornaram-se relíquias de uma santa; passaram a percorrer o mundo todo, sendo, até nossos dias, referência motivadora de oração pelas missões. De certa maneira, santa Terezinha que antes, dentro do Carmelo, se fazia missionária pela oração, depois de sua morte, continua sendo presença e estímulo missionários, na oração.

Conhecer a vida dos santos nos ajuda muitíssimo na caminhada de santidade. Gosto muito de Santa Terezinha, tenho particular devoção, e queria também levá-los a gostar; e sobretudo à acreditar na comunhão existente entre os santos.

Em 1997, as relíquias de santa Terezinha estiveram bem perto de nós, vieram a Palmas. O fato se transformou para mim em grande consolo espiritual, pois eu acabava de chegar para a missão.

Certo dia, depois de visitar as sagradas relíquias, expostas na Paróquia São José, estava eu no meu quarto provisório, o último no corredor da casa paroquial. Como sempre, fazia muito calor, e eu estava estudando com a porta aberta; e eis que surge uma garotinha linda, loura; me entrega uma rosa, tão linda quanto ela, me deu um beijo e saiu correndo. Quando me levantei e fui atrás da menina, já não a encontrei mais. Fiquei por um longo tempo observando aquela rosa, impressionado com o fato. Então foi que me dei conta: era um sinal! Sinal de que a graça pedida se realizaria. Sabem o que pedi a santa Terezinha? Rezei assim: “Minha santa Terezinha que tanto amastes o menino Jesus e por ele ofereceste a tua vida, ajude-me a amar este lugar, ajuda-me a amar este povo. Ajuda-me a amar a missão que teu Jesus me está confiando. Livra-me da angustia. Ajuda-me a ser pequeno como foste diante dele”. No outro dia comecei a sentir um zelo muito grande por tudo à minha volta, principalmente quanto as coisas mais simples que me propunha a fazer. Pois bem! Passaram-se 14 anos, e estou em Palmas, cumprindo minha missão.Trago no coração essa experiência e a certeza de que Jesus ouviu a intercessão de santa Teresinha, ouviu as preces de sua humilde e querida filha.

Estejamos, irmãos e irmãs, atentos aos apelos de missão propostos pela nossa Igreja, seja em Palmas ou em qualquer canto do mundo, atentos ao mês de outubro que nos diz: “evangelizai!” E à semelhança de santa Teresinha, busquemos, também nós, o nosso lugar na Igreja.

Que santa Teresinha do Menino Jesus, padroeira das missões, interceda em nosso favor!

Pe. Marcos Tavoni

pemarcos.tavoni@gmail.com

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X