Arquidiocese de Palmas

Secretário Geral da CNBB faz apelo por Igreja mais missionária

A segunda coletiva de imprensa do 3º Congresso Missionário Nacional, que acontece em Palmas (TO) até amanhã, 15, contou com a participação do secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Ulrich Steiner.

Em suas colocações, dom Leonardo fez seu apelo para que a Igreja seja mais missionária e falou sobre alguns eventos da Igreja que contemplam a dimensão missionária, entre eles, o Concílio Vaticano II, tema do 3º CMN; o Ano da Fé proclamado pelo papa Bento XVI, que acontece de 11 de outubro de 2012 a 24 de novembro de 2013, Solenidade de nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo; e o Sínodo sobre a Nova Evangelização que se celebrará em Roma, em outubro próximo.

Segundo dom Leonardo, o 3º CMN, por ter uma relação estreita com esses importantes eventos missionários da Igreja no mundo, colabora para divulgá-los. “Estamos nos preparando para iniciar o Ano da Fé, em 7 de outubro, e o Sínodo sobre a Nova Evangelização que acontece de 7 a 28 de outubro desse ano, portanto, são elementos todos que começam a repercutir dentro deste Congresso que faz a repercussão para fora”.

Dom Leonardo lembrou os participantes do Congresso Missionário de Palmas, justificativa elementar para que o Congresso seja um evento que contribui significativamente com a dimensão missionária da Igreja no Brasil. “Aqui temos pessoas de muitas dioceses, prelazias, paróquias; temos padres, religiosos, leigos, jovens, bispos, e nós esperamos que esse Congresso realmente ajude a nossa Igreja a ser mais aberta para a missão em todos os âmbitos”, sublinhou.

A abertura missionária que o secretário da CNBB se refere é aquela com horizontes fixos na evangelização que perpassa todas as pastorais da Igreja: “aberta para a Amazônia, para a Pastoral Urbana, para a missão na periferia. Essa é a missão de todos nós, de sermos anunciadores de Jesus ou outra expressão muito bonita: testemunhas de Jesus crucificado e ressuscitado”.

O bispo auxiliar de Brasília também realçou algumas graças, frutos da disposição missionária da Igreja. “É uma graça muito grande podermos anunciar um Deus no meio de nós, como nós. Podermos anunciar o filho de Maria, o filho do Pai eterno que está no meio de nós, que dá sentido e horizonte às nossas vidas. Essa tarefa e missão é grandiosa e certamente esse Congresso ajudará todos nós nessa vocação e missão de todos os batizados”.

Dom Leornado, ainda em sua fala, voltou a comentar a importância do Concílio Vaticano II para o despertar e crescimento das atividades missionárias da Igreja no mundo. “Nós viemos já desde o Concílio Vaticano II lembrando a missionariedade na Igreja. O Concílio nos abriu outra perspectiva não mais pensando somente na Missão Ad Gentes (para os povos que ainda não tinham ouvido falar de Jesus), mas também foi devagar despertando para a missionariedade interna, de criarmos esse espírito de missão. Com o passar do tempo, os documentos latino-americanos, especialmente o último, o Documento de Aparecida (DAp), falam que todo batizado participa do envio de Jesus. Todo homem e toda mulher que recebeu a graça do batismo, deve testemunhar Jesus. Essa grandeza, creio que aparece em nosso Congresso”, concluiu.

Participaram ainda da coletiva o secretário nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, padre Marcelo Gualberto; o secretário nacional da Infância e Adolescência Missionária (IAM), padre André Luiz de Negreiros; a assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB e secretária executiva do Conselho Missionário Nacional (Comina), irmã Dirce Gomes; e a coordenadora estadual da IAM do Regional Nordeste 1 da CNBB (Ceará) Arlane Markely.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X