Arquidiocese de Palmas

Sorriso simboliza a disponibilidade missionária em Palmas

O missionário consagrado padreThiago Barros, 37 anos, é um dos exemplos da disponibilidade da Igreja de Palmas para fazer acontecer o 3º Congresso Missionário Nacional (3º CMN). Na responsabilidade de coordenador da hospedagem dos congressistas, fez de tudo um pouco, “do transporte da coordenação do congresso à movimentação dos participantes, dispôs-se a buscar e levar ao aeroporto, ver se estavam bem instalados nas famílias…”, relata padre Thiago com um sorriso que o acompanhou do começo ao fim do leva e traz da equipe de imprensa entre o pensionato das irmãs Maria Imaculada e o Colégio Marista, sede do Congresso.

A preparação para a acolhida, de acordo com padre Thiago, contribuiu para a alegria de sentir que o trabalho missionário vale a pena. “Pode ser o trabalho mais escondido, porém, sem ele, o congresso ficaria deficiente”, exemplifica.

Para ele, é desde a preparação que se consegue ter uma ideia geral de como seria o desenrolar de todo o congresso, mas é estar entre outros estados e países, na troca de experiência missionária, que tudo se redimensiona. “Percebo uma aproximação maior pelo trabalho conjunto entre as 27 paróquias de Palmas. O fato de serem muitas para uma cidade de população relativamente pequena, com 200 mil habitantes, faz com que muitos trabalhos aconteçam de forma isolada. Mas a ação conjunta trouxe todas as expressões vivas das comunidades à disposição que deram um pouquinho do que podiam dar”, ressaltou.

Uma das jóias da missão, conforme padre Thiago, é a de perceber a diversidade de realidades dentro da Igreja no Brasil. Deseja que, cada vez mais, seja cultivado o respeito mútuo, “entendendo que a diferença é sinal de complementaridade e não de oposição”, indica.

O religioso atua em Palmas há oito dos dez anos que se consagrou pela comunidade Semente do Verbo, sendo o atual responsável pela casa de missão. Com relação ao 3º CMN, disse perceber “um renovar no ardor missionário das paróquias e comunidades de Palmas, acredita.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X