Arquidiocese de Palmas

Artigos › 19/02/2019

Tenho sede do meu último Tenho Sede

Amado, amada de Deus, tenho sede do meu último tenho sede!

 

Não era projeto meu terminar, assim e tão cedo, este quadro que nasceu quase espontaneamente e foi crescendo, se desenvolvendo e, ao menos creio, produziu frutos.

Foram mais de dois anos de programação. Desde o dia 14 de abril de 2008 até hoje, dia 29 de outubro de 2010, foram ao ar 143 programas. Quase que esgotei todas as fontes que abastecem a minha sede. Mas, amado, amada de Deus, a fonte que abastece a minha sede é uma fonte que nunca seca: a vida. A força que abastece a minha sede é a vida que nunca seca. Minhas sedes são proporcionais às fontes da vida que nunca secaram. No fundo, no fundo, amado, amada de Deus, a sede que sempre tive e, creio que sempre terei, é a sede de valores cristãos, religiosos, espirituais, humanos, culturais, sociais…

Tudo tem o seu começo, o seu meio e o seu fim. Embora diga com o artista popular: “não aprendi dizer adeus”, é chegada a hora de tirar o meu time de campo e de sentir sede em outro lugar. Deixarei de sentir sede aqui no semi-árido piauiense e irei sentir sede no cerrado tocantinense.

Quero, com isto, agradecer, a você, amado, amada de Deus, que me acompanhou ao longo destes dois anos. E peço que me acompanhe, com suas orações, nesta minha nova missão em Palmas.

Esta semana já afirmei o que quero reafirmar novamente: o dom só é completo se houver gratidão. Todo dom exige um contra-dom. O melhor da graça é a ação de graça.

Sendo assim, amado, amada de Deus, antes de me despedir, só me resta fazer meu e oferecer a você, amado, amada de Deus, este programa de vida da serva de Deus Madre Francisca Lechner, fundadora da Congregação Filhas do Amor Divino:

“Nenhuma manhã sem oração fervorosa.

Nenhum trabalho sem boa intenção.

Nenhuma alegria sem um obrigado a Deus.

Nenhuma palavra sem se lembrar do Onipresente.

Nenhum sofrimento sem serena resignação.

Nenhuma ofensa sem perdão.

Nenhuma falta sem arrependimento.

Nenhuma ação do próximo sem ser interpretada benignamente.

Nenhuma boa obra sem humildade.

Nenhum pobre sem auxílio.

Nenhum coração sofredor sem uma palavra de conforto.

Nenhuma noite sem exame de consciência”.

E, para concluir: Por isto, vá, meu amigo e leve contigo a minha amizade. Por isto vá, meu amigo, e deixe comigo a tua saudade.

Tenho sede!

Um bom dia e fique com Deus!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X