Arquidiocese de Palmas

Sem categoria › 31/08/2020

Padre Fábio Gleiser apresenta tese de doutorado sobre diálogo inter-religioso na Igreja Católica

O Padre Fábio Gleiser, pároco da Paróquia Coração de Maria, em Palmas, teve sua tese de doutorado aprovada, na qual abordou o tema: “O diálogo inter-religioso como caminho aberto à paz e a solidariedade na perspectiva dos pontificados de João Paulo II e Francisco”, pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC).

A pesquisa discorre sobre o diálogo inter-religioso na modernidade, a partir de obras dos próprios pontífices, João Paulo II e Francisco, além de outros autores que tratam a temática. Assim, sendo realizado um levantamento de dados para o estudo teórico-bibliográfico, descritivo e compilativo, com acesso aos dados do Pontifício Conselho para o diálogo inter-religioso.

De acordo com a tese apresentada pelo Padre, a Igreja Católica assumiu o debate e iniciativas no campo do diálogo inter-religioso, a partir do Concílio Vaticano II, como porta aberta à modernidade multicultural e plurirreligiosas, em vistas à construção da paz e da solidariedade.

O Pároco explica que o tema foi escolhido devido sua atualidade na sociedade contemporânea, que se tornou cenário de grandes atos de violência, pautados no fundamentalismo e na intolerância religiosa. “Essa ambiência de intolerância e fundamentalismo religioso, colaboram para o fenômeno dos refugiados: homens, mulheres e crianças que deixam sua pátria e migram em busca de liberdade e segurança, e acabam tendo fragmentadas a sua identidade religiosa e sociocultural, fazendo com que vivam nos entre-lugares da cidadania”, pontuou.

A tese discorre sobre as características da modernidade na primeira metade do século XX, com as inovações tecnológicas, sociais, políticas e econômicas, e as manifestações da Igreja nesse sentindo. Passando pelo Concílio Vaticano II como divisor de águas na vida da Igreja, no século XX, e percorre o caminho pós-Conciliar, chegando aos Papas João Paulo II e Francisco, atentando às reflexões dos dois pontífices, como caracterização da proposta de diálogo inter-religioso do Concílio Vaticano II para a Igreja.

“Os pontificados de João Paulo II e Francisco, são dois grandes preciosos tesouros para a vida da Igreja nos séculos XX e XXI, no sentido da abertura da Igreja ao diálogo, seja, com a sociedade multicultural plurirreligiosa, seja, na abertura da Igreja ao diálogo inter-religioso. A Igreja fez avanços, no sentido de se aproximar das tradições não-cristãs, e estabelecer com eles abertura de diálogo, tendo como meta o trabalho conjunto em busca da construção de uma paz estável e duradoura. É importante lembrar que o diálogo inter-religioso não trata de questões doutrinárias nem das especificidades de cada tradição religiosa, mas empenha-se na busca dos elementos comuns às diversas tradições religiosos, para que essas sejam o ponto de partida e o referencial para as sociedades na abertura ao diálogo, à proximidade e à convivência pacífica”, discorreu.

O autor destaca ainda que, a evolução do pensamento da Igreja, até chegar ao Papa Francisco, que propõe, a superação da concorrência entre as religiões, em vistas à convergência religiosa; o que não significa a perda de identidade própria de cada tradição, mas sim, a abertura das diversas tradições religiosas para o acolhimento das diferenças, com vistas à vivência pacífica. “Ainda, Francisco propõe irmos além da tolerância religiosa para construção da convivência pacífica. A tolerância religiosa significa diferentes habitando o mesmo lugar, e cada um respeita o espaço de cada um. A superação da tolerância vai para o novo paradigma: não mais diferentes habitando o mesmo lugar, mas, os diferentes são o lugar existencial em que habita o único ser supremo: Deus, com isso, alcançamos a convivência pacífica”, contextualizou o Pároco.

Os Concílios Vaticano II

O Concílio é uma reunião de autoridades eclesiásticas, convocados pelo papa, quando é um Concílio Universal, com objetivo de discutir e deliberar sobre questões pastorais, doutrinárias, fé e costumes morais. O Concílio Vaticano II, realizado entre 1962 e 1965, é considerado o maior evento da Igreja Católica no século 20, e teve como objetivo realizar uma adequação da Igreja aos novos tempos, para reatar o diálogo com a sociedade e a cultura.

O Concílio Vaticano II foi convocado e iniciado pelo papa São João XXIII e concluído pelo papa São Paulo VI, abrindo a Igreja à novos horizontes de diálogo e comunhão. Foi um Concílio ecumênico, com a participação como assistentes de pessoas não católicas e não-cristãs. O Concílio por si, é um grande sinal profético da Igreja, que convida à prática do diálogo, e aconteceu em um ambiente de divisão e isolamento, quando o mundo estava polarizado entre dois grupos opostos liderados pelos Estados Unidos e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Um mundo onde não se dialogava e a paz estava ameaçada, com a contínua possibilidade de uma guerra. O Concílio vem como um sopro do espírito, convidando ao diálogo, à proximidade e à construção da paz.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X