Arquidiocese de Palmas

Vicariato da Ação Pastoral

I. ILUMINAÇÃO
1. “Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem
dinheiro suficiente para completá-la? Pois, se lançar o alicerce e não for capaz de terminá-la, todos os que
a virem rirão dele, dizendo: ‘Este homem começou a construir e não foi capaz de terminar’” (Lc 14,28-30).
2. “Sonho com uma opção missionária capaz de transformar tudo, para que os costumes, os estilos, os
horários, a linguagem e toda a estrutura eclesial se tornem um canal proporcionado mais à evangelização
do mundo atual que à autopreservação. A reforma das estruturas, que a conversão pastoral exige, só se
pode entender neste sentido: fazer com que todas elas se tornem mais missionárias, que a pastoral
ordinária em todas as suas instâncias seja mais comunicativa e aberta, que coloque os agentes pastorais em
atitude constante de “saída” e, assim, favoreça a resposta positiva de todos aqueles a quem Jesus oferece a
sua amizade (…) Toda a renovação na Igreja há de ter como alvo a missão, para não cair vítima duma
espécie de introversão eclesial” (Papa Francisco, Evangelli Guadium, 27).

II. DECISÃO
Em memória aos dez anos do Documento de Aparecida, iluminado pela Encíclica do papa Francisco,
Evangelii Gaudium, com base no Ano da Bíblia e nas Prioridades Pastorais, na Arquidiocese de Palmas, Pastoral de Conjunto e Laicato, tendo ouvido o povo de Deus e o Conselho Episcopal, pareceu bem o Espírito Santo e a nós, pela missão que me é confiada, criar e instalar, com abrangência para toda a Arquidiocese de Palmas, o Vicariato da Ação Pastoral, por meio do Decreto.

III. A MISSÃO
O VICARIATO DA AÇÃO PASTORAL (VAP) tem as seguintes missões:
a. Coordenar a ação evangelizadora e pastoral da Arquidiocese de Palmas.
b. Ser guardião, velar, cuidar e aplicar o Plano Arquidiocesano de Evangelização.
c. Estudar, refletir, ajudar na formação dos agentes de pastoral.
d. Produzir materiais e subsídios sobre temas pastorais de interessa das pastorais, dos organismos, dos setores
e dos serviços eclesiais.
e. Unificar, dinamizar, orientar, coordenar, articular, avaliar a caminhada pastoral e a ação evangelizadora da
Arquidiocese de Palmas, ciente de que a vida pastoral-evangelizadora-missionária acontece, de fato, nas
paróquias, cada uma com suas características e dinâmicas próprias, seus núcleos vitais, animando-as e
incentivando-as a uma verdadeira Pastoral de Conjunto.
f. Convocar periodicamente os coordenadores de pastorais, sob sua responsabilidade, para formação,
reflexão, planejamento, celebração e avaliação.
g. Elaborar e cuidar, com a máxima participação dos agentes de pastoral, da agenda ou do calendário
arquidiocesano, o qual deverá manter uma comunicação com as agendas e os calendários paroquiais.
h. Ajudar a todos para que aconteça efetivamente a mística da Pastoral de Conjunto, diferentemente do
conjunto das Pastorais.
i. Auxiliar o arcebispo nas suas solicitudes pastorais, entre elas a Visita Pastoral Missionária.

IV. ÁREAS DE ABRANGÊNCIA E DE ATUAÇÃO
1. Suas áreas de ação e de articulação são:
a. O território da Arquidiocese de Palmas.
b. Os Setores e as Expressões Pastorais, as Paróquias e as Regiões Episcopais.
c. Substituirá a antiga Coordenação Arquidiocesana de Pastoral, ao assumir suas atribuições pastorais.

2. Criar e/ou recriar Escola de Formação para que os leigos possam atuar como verdadeiros sujeitos eclesiais
e não simplesmente como cumpridores de tarefas.

V. COMPOSIÇÃO
O VAP é composto pelos seguintes membros:
a. Presidência: Dom Pedro Brito Guimarães, arcebispo de Palmas, princípio visível e fundamental da unidade
na Igreja Particular (LG 23), pela força sacramental do seu caráter episcopal, é o primeiro servidor e responsável por
toda ação evangelizadora e pastoral, respondendo também pela organização pastoral e administrativa de toda a
Arquidiocese.
b. Vigário: o arcebispo de Palmas, para escolha e nomeação do Vigário do VAP, consulta e solicita a
indicação de nomes de presbíteros, visando à participação eclesial e à qualificação do serviço evangelizador na
Arquidiocese de Palmas.
c. Secretaria:
d. Assessoria Pastoral:
e. Assessoria de Comunicação:
f. Tesouraria (Contador):
1. Farão parte do VAP, os seguintes organismos que, com isto, formarão o Conselho Arquidiocesano de
Pastoral Ampliado:
a. Os Párocos das Paróquias da Arquidiocese de Palmas;
b. Os Vigários das Regiões Episcopais;
c. Os Coordenadores dos Setores de Pastoral, em funcionamento na Arquidiocese de Palmas:
d. Três pessoas, cada uma representado uma Região Episcopal, escolhidas pelo Vigário da Região, em comum
acordo com os párocos da referida Região;
e. 36 pessoas, uma por cada paróquia, escolhida por cada pároco, preferencialmente do Conselho Paroquial de
Pastoral.

VI. DURAÇÃO E REUNIÕES
1. A duração dos mandatos de todos os membros do VAP será de 4 anos, coincidindo com a vigência do
Plano Arquidiocesano de Evangelização, podendo ser reconduzido por mais quatro anos.
2. Os membros VAP se reunirão, ordinariamente, uma vez por mês, exceto janeiro e julho, e
extraordinariamente, quando se fizer necessário, para troca de experiência, oração, retiro, estudo,
planejamento e avaliação, em estreita comunhão com as orientações do arcebispo.
3. O Conselho Arquidiocesano Ampliado se reunirá, ao menos, duas vezes por ano para estudo, planejamento
e avaliação das ações pastorais.

VII. CONSIDERAÇÕES FINAIS
1. No VAP o arcebispo deposita sua confiança e, junto com ele, coordena e supervisiona toda a ação pastoral
da Arquidiocese de Palmas.
2. Fica determinado ao VAP visitar cordial e pastoralmente às Paróquias, combinado com o pároco, para
levar subsídios, ajudar na formação dos Conselhos Pastorais Paroquiais e trazer as suas respectivas
reivindicações.
3. Em tudo, seguiremos o que disse o papa Francisco: “às vezes, é preciso pôr-se-á à frente para indicar a
estrada e sustentar a esperança do povo, outras vezes manter-se-á simplesmente no meio de todos com a
sua proximidade simples e misericordiosa e, em certas circunstâncias, deverá caminhar atrás do povo,
para ajudar aqueles que se atrasaram e, sobretudo, porque o próprio rebanho possui o olfato para
encontrar novas estradas” (Papa Francisco, EG, 31).

Dou fé no que crio e afirmo.
Dom Pedro Brito Guimarães,
Arcebispo de Palmas
Palmas, 17 de abril de 2017

Programa Hora da Ave Maria

Domingo
Segunda
Terça
Quarta
Quinta
Sexta
Sábado
X